Battisti e Palocci, duas caçapas cantadas

BATTISTI SAIRÁ DA PRISÃO. ATÉ QUE ENFIM!
Por Celso Lungaretti (*)

Sem a mais remota possibilidade de surpresa, o Supremo Tribunal Federal decidirá logo mais que a decisão tomada em 31/12/2010 pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva colocou um ponto final no Caso Battisti.

A farsa encenada nos últimos cinco meses terá vindo, portanto, apenas confirmar que dois ministros do STF jamais mantiveram a mínima isenção ao tratar deste caso.

Aqui também não haverá nenhuma surpresa. No próprio dia em que Lula decidiu a pendenga, eu escrevi:

O que resta, doravante, é um exercício de  jus sperniandi  por parte do presidente do Supremo Tribunal Federal, Cezar Peluso, que precisa de mais algumas semanas para digerir a devastadora derrota pessoal que acaba de sofrer. E é apenas isto que terá.

…demagogias, mentiras, ameaças, bravatas e buffonatas italianas à parte, permanece o fato de que a dupla reacionária do STF parece querer colocar o Supremo no papel de uma corte internacional que estivesse julgando uma pendência entre o Brasil e a Itália, e não como um Poder brasileiro obrigado a respeitar as decisões tecnicamente consistentes de outro Poder.

 Francamente, acredito que ficará falando sozinha, com os demais ministros não a acompanhando nessa aventura insensata e potencialmente catastrófica para nossa democracia.

Depois de horas e mais horas daquela retórica pomposa e intragável que foi apropriadamente rotulada de  juridiquês, será este, inevitavelmente, o desfecho.

Não se excluindo a possibilidade de, face à constatação de que a derrota é inevitável, o próprio relator Gilmar Mendes dela se dissociar, recomendando o acatamento da decisão presidencial.

PALOCCI SAIU DO MINISTÉRIO. ATÉ QUE ENFIM!

A única surpresa na destituição de Antonio Palocci foi a demora para se dar o merecido pé na bunda em quem nunca deveria ter integrado o Ministério de uma ex-guerrilheira, pois não só se tornara o símbolo mais conspícuo do abandono das bandeiras anticapitalistas por parte do Partido dos Trabalhadores, como também, à guisa de contribuição pessoal, do abandono da opção preferencial pelos trabalhadores humildes, contra o arbítrio dos poderosos.

Palocci, mais do que ninguém, representa a negação do PT de 1979 (que conservava alguns traços revolucionários) e a afirmação do PT  realista, 100% reformista, que aceita executar a política econômica ditada pelo grande capital, limitando-se a distribuir mais migalhas para os explorados do que os partidos burgueses distribuiriam.

Para piorar, o lambe-botas de banqueiros e espezinhador de coitadezas revelou agora uma nova faceta repulsiva: a de novo rico deslumbrado com as benesses que o capitalismo oferece em troca da alma dos que se tornam seus serviçais.

Como pôde descer tanto alguém que começou como trotskista, defendendo a revolução permanente?!

Não havia motivo para homem de esquerda nenhum mover uma palha por sua salvação. Já vai tarde.

 

*Celso Lungaretti é jornalista e escritor. http://naufrago-da-utopia.blogspot.com

Comente sem medo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s