Sobre a delação e a recusa, por Pedro Tierra

  Pertenço a uma geração que viu não poucos companheiros de luta voltarem das sessões de interrogatórios deformados pela brutalidade dos espancamentos para não entregar um ponto de encontro, uma informação, um documento. Para não delatar. Para não trair. Alguns simplesmente,  não voltaram. Pagaram com a morte seu silêncio. A delação era a ignomínia. A condenação ao ostracismo, à exclusão de qualquer ambiente de convívio social. A morte civil.

Hélio Fernandes: “A humanidade não pode ter baixado tanto como baixou com Joesley Batista” Especial para o QTMD?

Um dos jornalistas mais vezes preso na história do Brasil, único julgado pelo STF, único remanescente da Constituinte de 1946, acompanha atentamente o desenrolar dos acontecimentos políticos nesse início de século XXI e gosta de assistir a partidas de tênis. Perto de completar 97 anos, Hélio Fernandes, o controverso dono da “Tribuna da Imprensa”, concedeu em sua casa entrevista exclusiva ao “Quem tem medo da democracia?”. Esbanjou lucidez, desvelando nossa história recente e traçando paralelos com os dias atuais.