Distâncias

Por Paula Cajaty (*)

Atravesso distâncias como quem atravessa a si mesmo. Na lonjura, recupero brilhos, transformo olhares, renovo sorrisos, descortino mapas, reaprendo a simplicidade de sair apenas com três notas amassadas no bolso, reencontro aquele antigo desejo tanto e tão grande de tudo, num abraço quente, longo, quase eterno.

No retorno, atravesso a mim mesma como quem atravessa os ares. Trazendo na mala um pouco mais de saudades, um pouco mais de encantos, um pouco mais de leveza. Trazendo a vontade de voar de novo… e alguns poucos chocolates para encontrar o outono.

*Paula Cajaty é escritora.

Comente sem medo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s