Brincando com os versos

A jaqueira da Bolívar

Ana Helena Tavares

Foto: Ana Helena Tavares

A jaqueira da Bolívar

Por Ana Helena Tavares

Tantos passos açodados

E lá está ela majestosa:

Galhos fortes, entrelaçados

A uma orquídea bem cheirosa.

Passos não cheiram, são arredios,

Mas lá está ela admirável:

Aos olhares menos esguios,

À vida mais saudável.

À sua rua um revolucionário

Deu seu nome e esplendor.

Merecia outro cenário,

Merecia mais calor.

Com a Barata faz esquina

Mas só a vê quem vem de longe

Será isso alguma sina?

Nem o hábito faz o monge…

Com saudades de outra Copa

– Aquela em que nasceu –

A jaqueira se faz de morta

Depois de tanto o que viveu.

Depois de tanto o que já viu,

– Viu bem mais do que foi vista –

Dá pra imaginar o que já sentiu?!

Nem chamando um analista…

8 de Novembro de 2010,

Ana Helena Tavares

Também no “Recanto das Letras

Comente sem medo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s