Brincando com os versos

Tudo é uma questão de ponto de vista

A porta fecha na sua cara

O carro avança o seu sinal

A lua já não é mais clara

Há espinhos no seu quintal

A porta abriu e você não viu

O sinal tava aberto naquela hora

Uma nuvem a lua encobriu

Todo espinho colabora

Quadros tortos na parede

Fotos embaçadas na estante

Não há o que mate a minha sede

Que pesadelo horripilante!

Não será a minha vista que está torta?

Será que o tempo a embaçou?

Mas ainda não tô morta.

E só morreu quem não lutou.

Ana Helena Tavares

Comente sem medo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s