Brincando com os versos

Hoje a passeata chorou

Hoje a passeata chorou

Você era o mais vibrante dos alunos da escola
Você sorria radiante, você lutava até por bola
Hoje você se cala, mas a luta continua
O povo ainda rala, ainda clama, ainda sua

Hoje a passeata chorou pela falta de você

Quem não te viu chorar
Não consegue mais te ver sorrir
Quem te viu lutar
Não aceita o seu fugir

Quando a tortura começava você era o mais valente
E se a dor apertava a sua força era na mente
Hoje o país é outro e a tortura é de outro tipo
Mas existe e você nada, como se não fosse mais contigo

A nossa música, você lembra? Era forte, era protesto
A utopia era o que importava, pra depois ficava o resto
Hoje, saudoso, eu visito aquelas praças que tinham vida
Pra dizer aos meus olhos que buscamos uma saída

Todo dia olho no espelho e me orgulho daquelas bolinhas
As de gude, que jogamos, pra derrubar cavalarias
Imaginas como me dói escrever-lhe estas linhas?
Assistindo-o ir à TV dizer tantas patifarias?

Quem teve ânsia de justiça, não se acostuma à covardia
Quem quis mudar o mundo, não o vive sem magia
Não sei como você pode ter vendido a sua alma
É triste, é deprimente, não me peça pra ter calma

Hoje a passeata chorou pela falta de você

15 de Agosto de 2010,
Ana Helena Tavares

Livremente inspirado na letra da música “Quem te viu, quem te vê“, de Chico Buarque.

3 replies »

  1. Seu verso Ana, me lembrou o embaraço com que ficou o candidato Gabeira no debate da Band, ao ser chamado por outro candidato de ex-Gabeira e ao ser acusado pelo candidato do PSOL de hoje aceitar o apoio do DEM. Realmente, a história de vida do Gabeira é o oposto do DEM. Mas ele disse que lutou contra a ditadura na adolencência…Talvez a maturidade tenha lhe tirado os sonhos.
    Marcia Eloy

    Curtir

  2. Não, não, de jeito nenhum, eles jamais serão julgados e muito menos condenados; e morrerão tranquilos, felizes e milionários no conforto de suas mansões. Já estou cansado de ver esse fiilme; portanto, já sei o final.
    Gostaria muito de ter a esperança do cidadão Sr. Jetro.
    Mas no mais concordo com ele em gênero, número e grau. Gostaria muito de escrever assim. Mas já que não sei, você escreve por mim. Afinal, os poetas estão aí pra isso, não é, truduzir a vida para os não-poetas.
    Lindo, é o mínimo que se pode dizer.

    Abraços, Jornalista Ana Helena.

    De, Valdete.

    Curtir

  3. É uma pena que essa gente que tanto condenava a ditadura entreguista, agora esteja defendendo coisas ainda piores, num crime
    de lesa pátria, pois tentam privatizar até a alma duma nação. Um dia eles serão julgados e condenados por venderem também suas almas ao demonio do capitalismo globalizado.
    Ana Helena, menina Ana, linda até nas coisas que escreve, parabéns pelo poema !!!
    E eu aqui fico só na vontade de poder escrever coisas assim e não consigo, mas que se dane
    a minha pobreza de escrita, você também escreve por mim. Tou orgulhoso dos teus escritos. Parabéns!

    Curtir

Comente sem medo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s