Algum lugar entre a prosa e a poesia

Hoje não sou assim

Quando criança achava tudo engraçado

Vivia no mundo do sim

Não precisava optar por um lado

Nem por fugir de mim

Sabia muito bem quem eu sou

Hoje não é assim

Quando garota achava linda a escola

Brilhava o meu boletim

Todos ficavam na minha cola

Eu sabia tocar clarim

O meu futuro o destino virou

Hoje não é assim

Eu bem que tenho tentado um regresso

Estou atrás de mim

Papai me deu até um ingresso

Pra eu assistir plimplim

Aquela menina que “Seleções” colecionou…

Hoje não é assim

Por conta de umas idéias banguelas

Ando estourando meu rim

Preciso acender logo umas velas

Pra trazer de volta a mim

Aquela menina que do Jabor já gostou

E hoje não é assim

Vou ligar a TV em “A Fazenda”

E preparar um pudim

Quem sabe então o mundo me entenda?

Quem sabe ri pra mim?

Trumman pôs uma parede em seu show

Porque não é assim…

Direi agora tudo ao contrário

Sou chata, sou sim

Seria mesmo hilário

Mudar meu folhetim

Aprendi com Trummam a lição:

Também não sou assim.

– Inspirado em “Até o fim”, de Chico Buarque.

Ana Helena Tavares

Comente sem medo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s