Brincando com os versos

Ingenuidade

Sempre achar que o outro é digno
Do aconchego de sua mão
De ter aprendido a lição
De saber o valor de um perdão

Mas… Quantas vezes não!
Quantas vezes é em vão…

Então…

Por que insistir?
Por que sorrir?
Por que levantar quando cair?

Haverá quem o embale na volta?
Haverá quem o chacoalhe no tédio?

Caio, levanto, me afundo no mundo

E por um segundo…

Sei que há.
Sempre haverá.

24 de Abril de 2010,
Ana Helena Tavares

Comente sem medo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s