Artigos

O Pasquim e a oposição à objetividade

“Como era a reunião de pauta no Pasquim?”, perguntaram certa vez ao jornalista Luiz Carlos Maciel. “Reunião de Pauta?!?! No Pasquim?!?!”, foi a resposta.

A revelação foi feita durante palestra sobre Jornalismo Cultural no Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro, na quarta-feira, 08/04/2009. “Cada um enviava suas matérias, o Tarso (de Castro, editor do Pasquim) juntava tudo e transformava aquilo num jornal. Pronto!”, completou Maciel.

Pronto? Como “pronto”? Não faltava algo àquele jornal? Uma falta que proporcionou o seu sucesso. Algo que sobra à grande imprensa de hoje… O que seria? Objetividade!

Não falo de objetividade na linguagem. Aquela que – de forma totalmente imparcial – se apega exclusivamente ao objeto de análise. Isso é mito do jornalismo. “Conversa fiada”, como definiu o próprio Maciel.

Não, caros leitores, o jornalista, por mais neutro que tente ser, nunca consegue se desprender por completo do sujeito que é. Portanto, todo o relato já é – por natureza – subjetivo. E como seria bom se milhões de leitores e telespectadores entendessem isso…

Então temos aí que a objetividade à qual o Pasquim se opunha com todas as suas forças e à qual vemos a grande imprensa de hoje totalmente rendida é uma objetividade de outro tipo. É uma objetividade que vem de escolhas, interesses e, como não poderia deixar de ser, objetivos.

Nada tem a ver com o objeto a ser apresentado, ou em outras palavras, sua excelência: o fato. Esse, aliás, muitas vezes fica mesmo é relegado a décimo plano. Quem sabe ele aparecerá numa notinha de pé de página. Se der sorte.

E essa objetividade tem dono, sua santidade: o mercado. A ele, sim, o jornalismo deveria fazer oposição sempre…

Mas, aquele pra quem os donos de jornais rezam todas as noites, é capaz de tolher qualquer idealista numa reunião de pauta.

10 de Abril de 2009,

Ana Helena Ribeiro Tavares

O Pasquim e a oposição à objetividade no Recanto das Letras

O Pasquim e a oposição à objetividade na Revista Púlpito

Link pra este texto no Observatório da Imprensa

1 resposta »

  1. Este se torna o pensamento dos tempos onde a vida se confunde com os poucos costumes, e diferencias imposta por muitos, vida de megalomania passada por trás dos acontecimentos fingidos e muitos despercebidos aos olhares de poucos que ainda luta contra a moralidade, a infância perdidas ou roubada por quem tem seu estado alterado ao encontro do imperfeito, eu sei que o passado não importa para muitos mesmo sabendo que lá se encontro a explicação para os dias atuais, Mesmo que a realidade seja cruel para muitos e para poucos um fato real, como explicar o início, principio meio e fim, se as resposta estão perdidas entre as gerações, não mais importa para muitos, os princípios básicos da convivência, a ética moral, a responsabilidade entres outros meios de convivência de cordialidade, coisa que não se sabe mais.

    Deus lhe deu a Vida mas não pode vive-la para você. Eu posso dar-lhe direções mas não posso estar lá para levá-lo, posso levá-lo a igreja mas não posso fazer você acreditar posso ensinar-lhe entre certo e o errado mas não posso decidir por você posso dar-lhe bonitas roupas mas não posso deixá-lo bonito por dentro posso oferecer-lhe conselhos mas não posso aceita-los para você, posso dar-lhe amor mas não posso forçá-lo a amar posso ensinar-lhe respeito mas não posso forçá-lo a mostrar honra posso aconselhá-lo sobre Amigos mas não posso escolhê-los para você posso dizer acerca de nobres objetivos mas não posso alcançá-los para você Posso ensiná-lo sobre a bondade mas não posso forçá-lo a ser bom Posso orar por você mas não posso fazer você andar com Deus posso dizer-lhe como viver mas não posso dar-lhe a Vida Eterna
    Escrevo este comentário, após pensar muito neste, abaixo o que será que os tempos mudam tão de repente que não percebemos a velocidade dos fatos……

    Naquele tempo nada disso seria realidade, 1988, muitas coisas mudaram de lá para car. O mundo esta perdido. E pai tendo filho com sua própria filha, e filho matando pai e mãe, mulher deixando seu Mario, marido deixando seu esposa, o lar esta se desmonorando segundo o que Sebastião mim falava que tudo isso um dia seria realidade, lhes peço que reze esta oração. Assim como rezem para alma deste sábio velho ao qual tive prazer em conviver com ele, e hoje sigo suas palavras, e sempre quando tem uma pessoa mais velha em qualquer lugar gosto de conversar com ele e perguntar dos tempos passados, e relembro das palavras de (paitano) que todas as tardes nos chamavas para sentar ao seu lado para contar suas Historia, o que para nos seria historia….
    Seja você seja justo para que os injustos possa ser modificado.
    Naquele tempo nada disso seria realidade, 1988 ultimo ano de sua vida!!!!!!!!!
    Obrigado, hoje estou mais sábio que os dias anteriores, pois sei que todos estão nesta mesma jornada, sei que poucos ainda se preocupam com muitos, isso é o suficiente para me deixa mais realizado, muitas coisas estão mudando e seus significados já não são os mesmos, isso é muito perigoso, precisamos manter a calma dos mais exaltados, o principio dos nossos antepassados estão se desmonorando por não damos valor o que nos foi dito, tenho eu provérbio que mim foi ensinando por um seguidor de Pr. Cícero, de 98 anos, falecido em 1989, que mim falava, meu filho este mundo esta perdido só depende de nos fazemos a coisa certa para não caímos nesta tentação, quando o mundo estiver coberto por uma cobra pretas (pista), as mulheres estiverem deixando de usar sai, pai estiver matando filho e filho matando pai, pai não respeitar mais filho e nem filho respeitar o seu pai, pai se deitar com filho e filho se deitar com pai, (você sabe do que estou falando, em outras palavras tendo relações carnais meu filho tenha cuidado que esta começando uma era muito difícil) eu que sou muito velho não vou alcançar estes tempos, mas muito vão quere ter morrido para não ter que passar por isso, reze meu filho pelo menos um pai nossos todos os dia pedindo para que seja livrado destas males, vocês pensão que estou caducando mais um dia vão ver que eu tenha razão, hoje sei assim com nunca deixei de saber que isso seria um dia a realidade de muitos, peço para que todos reze e der continuidade a esta oração. E que o senhor meu (paitano) Sebastião, a que Deus ao tenha guardado um bom lugar para te, nos tem mostrado muita coisa no passado que hoje, nos ajudam a entender um pouco desta megalomania, do mundo e suas doenças e males assim como nos falavas que seriam tantas e muitas outra que nossos netos ainda iram presenciar, o sofrimento do mundo, antes do seu fim, pois que o fim será o próprio homem que fará.

    Curtir

Comente sem medo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s