Dois banquinhos, um bate-papo

Foto: Ana Helena Tavares

– Hoje o bate-papo é sobre amizade… Vinicius e eu, eu e Vinicius… E aspas nele!

– Dedico esse “diálogo” a todos os meus verdadeiros amigos, impossível e desnecessário citar nomes.

“Enquanto passando, enquanto esperando,
de que mais precisa um homem senão
de suas mãos para apertar as mãos do amigo
depois das ausências, e pra bater nas costas do amigo,
e pra discutir com o amigo…?”

Mão amiga,
Afaga-nos com a canção,
Entoada pelo coração,
Nosso ícone.
Liberta-nos do impossível,
Assusta a solidão…
Rei de todos que
Amigos têm!

“Suportaria, embora não sem dor,
se morressem todos os meus amores,
mas enlouqueceria se morressem
todos os meus amigos”.

É naqueles amigos
De raridade impagável,
Tão ávidos por liberdade,
Imbuídos de amizade,
Que algo faz nascer-me a vontade
De sair cantando, ter identidade
E, sem maldade,
Existir. Não parar,
Tentar!
Ombros fiéis poder encontrar…
Para com eles remar,
Regar minha esperança.
E, com carinho no peito,
Semear amizades…

“Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.”

No impulso desse riso da vida,
Dessa sincera fonte de paz
O iminente sorriso
Que um amigo nos traz.

“De que mais precisa um homem senão
de um amigo pra ele gostar,
um amigo bem seco, bem simples,
desses que nem precisa falar — basta olhar –
um desses que desmereça um pouco da amizade,
de um amigo pra paz e pra briga?”

Amizade sem superação de diferenças
É como uma roseira que se fere com seu espinho.
É como uma estrada que se perde em seu caminho.
Ou já imaginaram a videira embebedando-se com o vinho?

Ana Helena Ribeiro Tavares

A liberdade em duas rodas

Sol forte, centenas de quilômetros a percorrer, o vento batendo em seus cabelos e sua bicicleta está no ponto. Pronto, você está preparado para mais um dia de ciclismo.

Independentemente de campeonatos, é comum amigos se reunirem para fazer longos passeios de bicicleta, quer no monte ou em estrada, dos locais mais inóspitos e selvagens a paisagens urbanas. E quando se torna uma atividade coletiva é geralmente regada a muita amizade e solidariedade.

Em termos de saúde, o ciclismo é uma atividade rítmica e cíclica, ideal para desenvolvimento dos sistemas aeróbico e anaeróbico, dependendo do tipo de treinamento aplicado. Desenvolve o sistema cardiovascular dos praticantes, sendo ainda indicado por médicos especialistas como ótimo exercício para queima de gordura corporal e desenvolvimento de resistência de força muscular de pernas.

O mundo moderno inventou também o ciclismo estático, ou seja, a prática do ciclismo em bicicletas ergométricas e em locais fechados, casa, academia, clube, etc, um exercício aeróbico alternativo e seguro, ideal para indivíduos que desejam maior segurança, sustentação e facilidade de manejo.

No entanto, sendo o ciclismo sinônimo de aventura, adrenalina e saúde, não parece ter nascido pra ficar fechado em quatro paredes. Sua vocação é a liberdade…

Ana Helena Ribeiro Tavares

Matéria publicada na edição de Junho/2008 do jornal “Correio Carioca”.

Para ver a edição completa do jornal, clique aqui

%d blogueiros gostam disto: