História Política – 1964: A insônia dos golpistas

Por Gilson Caroni Filho Para continuar sendo exeqüível, é fundamental não ceder terreno. Reafirmar os princípios do 3º Plano Nacional de Direitos Humanos, cumprir as propostas aprovadas na Confecom, avançar na questão agrária e na manutenção do diálogo com os movimentos sociais são passos decisivos para construir uma nação moderna e organizada. Não fazê-lo é conviver com o permanente risco de retrocesso. E nunca é bom desconsiderar o aspecto trágico da História e o papel motriz da violência em sua caminhada. Os golpistas esperam o sono dos justos para lançar os dados do nosso destino. Não podemos dormir novamente.

Carlos Eugênio Paz: “Aos ditadores, o julgamento histórico”

Após a entrevista, fomos ao "Vermelhinho" da Cinelândia. "Quer que eu tire a foto com o cigarro mesmo?", perguntei. "Principalmente! Não sou politicamente correto", respondeu. Por Ana Helena Tavares Um escritório próximo à Cinelândia, a pouquíssimos metros do Theatro que foi palco do discurso oco de Barack Obama, tem sido o local das reuniões de … Continue lendo Carlos Eugênio Paz: “Aos ditadores, o julgamento histórico”