Deputado federal Rubens Otoni aciona MPF para garantir EPIs ao SUS

Faltam EPIs para os profissionais de medicina no combate à pandemia de coronavírus.

Por Renato Dias, de Brasília

Sem isolamento social horizontal, longe da universalização de medidas protetivas, com os exemplos negativos do presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, o deputado federal Rubens Otoni Gomide [PT] informa, com exclusividade, ter protocolado representação no Ministério Público Federal [MPF]. Motivo: assegurar o fornecimento de equipamentos de proteção individual [EPIs] aos profissionais do SUS. O Sistema Único de Saúde. Ele foi criado com a promulgação da Constituição Federal. Em 5 de outubro de 1988. A Carta Magna Cidadã.

_ O Brasil já ultrapassou a China. No número de mortos. Pelo Coronavirus Covid 19.

Prevenção e combate

Os trabalhadores da área de saúde estão, hoje, na linha de frente da prevenção, tratamento e combate ao vírus, informa o parlamentar. Pesquisas apontariam uma suposta subnotificação. Os casos poderiam já ter ultrapassado a marca de um milhão. Nas 27 unidades da Federação. No Brasil. Uma tragédia de saúde pública, sanitária, social e humanitária, lamenta o líder petista. A União e o Estado devem prover os profissionais com EPIs, dispara. O Ministério Público Federal poderá oferecer denúncia contra o Governo Federal. Não há prazo definido.

Jardel Sebba: ‘Eleitor não votou em Moro’

O ex-presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, Jardel Sebba

Por Renato Dias

O eleitor não votou em Sérgio Moro para a presidência da República, dispara o ex-presidente da Assembleia Legislativa Jardel Sebba [PSDB]. Quem deve mandar é Jair Messias Bolsonaro, insiste. O ex – magistrado saiu com um comportamento não republicano do Ministério da Justiça e Segurança Pública, acredita. Mensagens de celular não constituem provas robustas, fuzila. Apenas o tempo irá dizer com quem está o monopólio da verdade, da razão, afirma ele. O poder de nomeação é privativo de Jair Bolsonaro, avalia. “O ex-juiz extrapolou a sua função.”

_ O estabelecimento de uma crise política e institucional sob a Pandemia do Coronavírus Covid 19 é contraproducente. Ao Brasil. Com milhares de contaminados, infectados, mortos.

Jair Bolsonaro erra ao não usar máscaras, anunciar uma suposta ‘gripezinha’, estimular flexi­bili­­za­­ção, sair às ruas, cumprimentar eleitores, fazer ‘selfies’, pontua o médico e ex-secretário de Es­tado. O impeachment de Dilma Rousseff teve motivação política, diz. O ex-prefeito de Ca­ta­lão rejeita a proposta de impedimento do inquilino do Palácio do Planalto. A Pandemia, a re­cessão global, a crise econômica que grassa os setores primário, secundário e terciário, mos­tram que nada será como antes, atira. A flexibilização da Economia agrava o cenário de saúde.

– A abertura do transporte coletivo transformou-se em um caos. A explosão da curva de contaminação pode ocorrer em 15 dias. A crise afetará a sociedade brasileira.

%d blogueiros gostam disto: