Em busca de um raio de sol

“Diálogo” poético com Castro Alves (trechos dele entre aspas e os meus sublinhados em negrito). “Donde vem? onde vai? Das naus errantes Quem sabe o rumo se é tão grande o espaço? Neste saara os corcéis o pó levantam, Galopam, voam, mas não deixam traço.” Venho de perto. Daqui mesmo. Aqui nasci. Roubaram-me o rumo. … Continue lendo Em busca de um raio de sol

O vil. O nada.

O céu, os prédios, a gaiola do passarinho A chuva que não veio, o telefone toca-toca O ninho A toca O armário, o urso pendurado O rádio, o remédio para os dentes Um cheiro de usado Ecoa nas mentes Livros amontoados, sem esperança de leitura Sapatos querendo fugir descalços A procura Em sobressaltos O jornal … Continue lendo O vil. O nada.