O saxofonista no sinal de trânsito

Havia quem achasse chique. “Ah, dá um ar de Nova Yorque a isso aqui” Havia quem desse chilique. “Ô, moço, tira essas bolsas da calçada, quero passar!” Havia quem o achasse um louco. “Olha o cabelo, e as calças!” Havia quem achasse pouco. “Devia ir tocar lá em Brasília” Ele estava lá, no vai não … Continue lendo O saxofonista no sinal de trânsito

Sobre pirotecnias, corrupção e lamentos

Tivesse segurado a ânsia de dar um “furo” que não tinha, tivesse conseguido uma entrevista com Lula ou esperado para ouvir a entrevista que uma rádio de Goiás conseguiu no exato dia da publicação do jornal, teria ouvido dele um belo – e paradoxal – título para sua matéria: “Prisão de Arruda deve ser exemplo … Continue lendo Sobre pirotecnias, corrupção e lamentos