Mês: novembro 2008

O abismo é sólido

Passa o caminhão cargueiro com sua alta velocidade avançando todos os sinais… O ano que passou não foi assim pesado, não foi assim leve, não tinha velocímetro nem sequer volante. Mas teve seus sinais vermelhos. Um vermelho esverdeado. Passa o carnaval com o seu não-tempo… Passa a Páscoa […]

Poema limpo

“Diálogo” poético com Ferreira Gullar. A Gullar as aspas que são de Gullar (os trechos de minha autoria aparecem em negrito). – Este “diálogo” é, claro, uma homenagem a Ferreira Gullar. Os trechos de minha autoria dedico ao meu amigo Antônio Carlos Secchin, que mergulhou recentemente na obra […]