O obrigada e as convenções lingüístico-sociais

Ou do porquê, nos momentos mais especiais, eu não digo obrigada É fato que a língua é um fenômeno social. Não conheço a forma como nasceu a palavra obrigado, menos ainda quem primeiro a proferiu. No entanto, sabendo seu significado original, é possível se imaginar o contexto que talvez tenha sido seu berço: uma sociedade … Continue lendo O obrigada e as convenções lingüístico-sociais

A falta inspira, a abundância limita

- Para o meu tio Carlos Alberto, por tudo que a falta o inspirou. Ao outro falta um braço, a quem critica falta consciência. Se você diz ao seu igual que ele não ouve – diz na sua língua e ele lê seus lábios – ele o ouviu e você o negou. Quem age assim … Continue lendo A falta inspira, a abundância limita